Homens infiéis fazem mais de 50 quilómetros só pelo sexo

Posted on 3/17/2014 by UNITED PHOTO PRESS MAGAZINE


Para fugir à "monotonia do casamento" há homens que procuram amantes na net e não se importam de percorrer grandes distâncias.

A monotonia no casamento é a principal razão que leva os homens portugueses a procurar amantes e a maioria considera ser possível ter uma relação extraconjugal sem qualquer envolvimento emocional. As conclusões são de estudo feito pelo site Second Love - vocacionado para pessoas comprometidas e casadas que procuram um affair - com mais de 126 mil utilizadores registados em Portugal.

Um inquérito feito a 1912 homens registados mostra que muitos fazem dezenas de quilómetros para se encontrarem com as amantes que conhecem na internet: quase metade dos inscritos (44,7%) admitiram já ter percorrido mais de 50 quilómetros só para terem sexo com desconhecidas. Mas, afinal, por que razão traem? O motivo mais invocado - por 38,4% dos homens - é "a monotonia sentida no casamento". Já 34,7% dos utilizadores dizem que o fizeram porque "surgiu a oportunidade e foi incontrolável". Em terceiro lugar na lista de razões que conduzem à traição está a falta de sexo na relação, responsável por 32,7% dos affairs.

Segundo o mesmo estudo, boa parte dos homens ainda admite ter práticas sexuais diferentes com as amantes e as suas mulheres. À pergunta "que experiências sexuais não pratica em casa, mas sim com a amante", 27,6% dos utilizadores masculinos responderam "sexo anal", 16,9% referiram o sexo oral e 16,4% fizeram referência ao "carinho e conversa" a seguir ao sexo. O inquérito conclui, por outro lado, que os portugueses são frios com as amantes. Quase 60% dos inquiridos (59,2%) dizem que é possível ter uma relação longa com uma amante sem qualquer envolvimento e sem se apaixonarem - o que mostra que a maioria dos infiéis estão interessados manter o seu casamento. Talvez por isso, 39,7% dos homens garantiram que não comparam a performance sexual da mulher com a da amante.

Já quando questionados sobre que tipo de relação faz, idealmente, um homem feliz, 34,9% dos utilizadores masculinos do site falaram numa "relação aberta". Para 23,9%, o ideal é estar bem casado e ter uma amante em simultâneo e só 23,6% dos homens disseram que o melhor é estar casado sem ter necessidade de recorrer a amantes.

Sobre os comportamentos que os homens infiéis têm na internet antes de marcarem encontros cara-a-cara, a maior parte (42,5%) prefere seduzir com mensagens "para criar clima", mas recusa fazer sexo virtual. Além disso, 62,6% admitiram já ter pensado em manter duas amantes ao mesmo tempo, além da companheira oficial. E para 30,7% dos homens "a beleza e o corpo" das amantes são aspectos "importantes". O inquérito, divulgado esta semana, foi enviado aos utilizadores do site em Novembro e Dezembro. As respostas foram dadas anonimamente.

“Os homens procuram uma amante de longa duração”
Bruno Inglês, Sexólogo

Por que razão os homens procuram amantes na internet, em detrimento da “vida real”? 
É importante realçar que este inquérito não é representativo da população portuguesa, porque as pessoas inscritas no site estão lá por um único e exclusivo motivo – a infidelidade. De qualquer forma, é mais fácil encontrar parceiros (as) em sites deste tipo porque existe um objectivo comum: é rápido e facilitador, mesmo para quem tenha com poucas competências interpessoais. Além disso, o “cardápio” de parceiros sexuais é vasto e diversificado.

A maioria dos homens infiéis não querem abdicar das esposas. Porquê?
Quando os homens não querem qualquer espécie de envolvimento emocional saltitam de parceira em parceira, de preferência sem troca de número de telemóvel. Existem vários estudos, inclusive relacionados com o mundo da prostituição, que indicam que os homens preferem manter uma amante de longa duração. Procuram uma relação de intimidade e de afecto, mas não obrigatoriamente de “paixão”. Talvez até por eventualmente não querer usar preservativo, um homem prefira uma amante fixa e exclusiva. No final do dia, é certo que não pretendem abdicar dos seus casamentos.

Alguns homens dizem que traíram só porque surgiu oportunidade. Que razões levam à traição? 
Não podemos generalizar, mas a minha prática clínica leva-me a crer que uma parte considerável dos homens apenas necessita de uma oportunidade. E depois o desejo toma conta da situação. Já as mulheres agem mais por motivação sexual do que por desejo. Necessitam contextualizar a traição.