Você sabe falar sobre sexo com seus filhos?

Posted on 8/10/2012 by UNITED PHOTO PRESS MAGAZINE

Como o bebê entrou na barriga da mãe? Como saiu? Por que os casais se beijam? Por que meninos fazem xixi em pé e as meninas sentadas? Essas e outras questões, mais cedo ou mais tarde, serão feitas pelas crianças. E, embora o tema seja bem comum em revistas, sites, filmes e até propagandas, muitos pais ainda se sentem encurralados com as perguntinhas vindas dosfilhos.

De acordo com a psicóloga comportamental Paula Pessoa Carvalho o sexo, na visão do adulto, envolve assuntos que para ele são complexos dependendo da educação e crença que foi criado.

Desse modo, como alguns deles não tiveram uma relação aberta para falar do assunto em casa quando eram pequenos, não sabem como lidar com o tema com os próprios filhose preferem inventar outras historinhas.

"Para o pai ou mãe o assunto pode remeter a algo perigoso e que tem consequências que possam não ser adequadas principalmente para crianças. Sendo assim, eles acreditam que a criança é um ser puro, sem maldade e sem possibilidade de entender o que é sexo ou sexualidade", diz ela.

No entanto, como os jovens estão se relacionando cada vez mais cedo, a psicóloga explica que a abordagem deve ser feita o quanto antes. "Quando a criança manifesta em seu comportamento as curiosidades e dúvidas sobre sexo e sexualidade é importante que o casal não fuja do assunto", relata. Para ela, é melhor que a criança aprenda e esclareça as dúvidas dentro de casa e não na rua.

Além disso, apesar de muitos falarem com os filhos de maneiras diferentes, ela ressalta que as crianças devem ser orientadas com as nomenclaturas corretas de cada órgão sexual. Ou seja, pênis não é piu-piu, vagina não é borboleta ou grilo. Isso evita que a criança se confunda e repita aos coleguinhas.

Já sobre o limite que os pais devem ter nesse diálogo, é importante que seja aquele estabelecido pelos próprios filhos. "Eles devem se restringir a responder apenas o que o filho perguntar. Nada de ir muito além dentro do tema para não assustar", completa Paula.