Conheça a chave do êxtase

Posted on 5/25/2012 by UNITED PHOTO PRESS MAGAZINE

Aproveite alguns conselhos das teorias sexuais orientais e embarque numa viagem em que o céu é o limite.

O ambiente, os beijos, a forma de tirar a roupa, as carícias e o estímulo das zonas erógenas aquecem, e muito, a relação. São o ponto de partida para uma sessão de sexo escaldante, sem complexos nem tabus. No entanto, para uma experiência sexual verdadeiramente inesquecível, não pode descurar alguns pequenos pormenores, uma vez que são eles que tornam a relação mais excitante e empolgante. Por exemplo, se forem seguidos os preceitos da sexualidade energética oriental – baseados nas energias complementares do yang, ou princípio masculino, e do yin, o feminino, que produzem a harmonia e a vitalidade do casal –, o resultado pode ser o êxtase. 

Outra valiosa herança da sexualidade chinesa é o tao, que considera o ato amoroso como algo natural e o eleva à categoria de arte refinada para aumentar a duração da vida e melhorar a saúde. Por isso, incrementar os preliminares, tendo por base alguns conceitos dos nossos amigos chineses, é o passaporte para chegar ao céu.

O cenário

Um ambiente tranquilo, sem ruídos nem interrupções, faz maravilhas pelo momento a dois. A luz deve ter pouca (ou nenhuma) intensidade e deve ter sempre à mão alimentos e bebidas excitantes, assim como um CD com músicas sensuais. Experimente as canções orientais.

O aspeto

Embora a mulher não costume ter dificuldades em parecer sedutora, o mesmo não ocorre com a maioria dos homens. Por isso, diga ao seu parceiro para, antes de ir ter consigo, tomar um duche relaxante, vestir uma camisa nova e perfumar-se muito.

A conversa

Um fator fundamental para que o momento a dois seja inesquecível é que sejam constantemente trocadas palavras de amor e de persuasão. No entanto, saber fazer rir o parceiro ou contar histórias divertidas é sempre uma boa aposta para descontrair e amenizar o ambiente. 

Os beijos

Para os orientais, assim como as carícias e os contactos íntimos, os beijos também devem obedecer a fases longas e progressivas que se sucedem umas às outras. O beijo simples, límpido e sereno, no qual os lábios unem as suas salivas húmidas, é a primeira onda do amor. De forma natural, dá-se o passo para o beijo profundo, no qual as pontas das línguas entram em contacto e entrelaçam-se, dando voltas e em que as pressões são cada vez mais fortes. E, finalmente, chega o beijo penetrante, no qual cada amante introduz sucessivamente a sua língua na boca do outro, em busca de sensações mais profundas.

Tirar a roupa

De início pode permanecer em pé, mas quando a mulher se senta ou se deita há uma maior facilidade para realizar com eficácia os preliminares. Alguns beijos e carícias devem anteceder o momento de tirar a roupa. É ideal que o homem participe neste processo.

As carícias

Tal como os beijos, que se vão afastando do rosto e do pescoço, as carícias espalham-se por todo o corpo, em forma de leves pressões, atritos, chupões e mordidelas, excluindo, a princípio, as regiões genitais, pois estão reservadas para depois.

As zonas erógenas

No homem, as zonas mais sensíveis localizam-se perto da sua área genital, embora também sejam sensíveis no peito, no pescoço, no abdómen e na face interna das coxas e dos pés. Na mulher, a região que mais desperta os seus desejos sensuais são os seios. Outras zonas interessantes são as pálpebras, as orelhas, os quadris e as axilas.

A estimulação genital

Cada um deve masturbar o parceiro, de forma intensa e alternando momentos de maior ritmo, com pequenas pausas e movimentos leves. No final de todo este processo, os corpos estão altamente excitados e, consequentemente, mais do que preparados para o ato sexual em si.